ACENDALHA – Associação Cultural

Acendalha

Acendalha para pôr a vida em combustão, para libertar o potencial das pessoas e das coisas.

Acendalha para pôr a vida em combustão, para libertar o potencial das pessoas e das coisas. 

Transformar a energia em movimento, em construção, em criação de riqueza cultural e natural, em festa. Acendalha para reacender o desenvolvimento sustentável do interior, ligando-o a uma vasta rede de públicos, trazendo criadores e activando parcerias com associações e instituições. Construindo e investindo na comunidade.

Acendalha é um colectivo de artistas, entusiastas, produtores de eventos, uma comunidade baseada em Paradela do Rio, Montalegre.

É uma associação cultural aberta e em constante transformação. Nasce de uma vontade de criar projectos artísticos, eventos culturais e produções agrícolas. Após a criação de várias actividades nestas e outras àreas, o colectivo reúne-se formalmente para as expandir e ampliar. Tomando como objectivo comum a criação de estruturas técnicas e logísticas na aldeia, capazes de albergar eventos culturais de pequena e grande escala, residências artísticas, eventos transdisciplinares, um serviço educativo, produções agrícolas e oficinas polivalentes.


Colectivo Acendalha

Maria Carvalho

Brasa incandescente da Associação. Ceramista de mãos e coração, fundou a “Arte da Terra” há 30 anos, uma oficina e espaço dedicados à expressão da cerâmica no coração de Paradela do Rio. Desde então desdobrou-se em criação artística, organização de eventos culturais, horticultura e o cultivo de muitas amizades que hoje se reflectem no rodopio crescente de actividade em Paradela. Encontrou no outro dia um poncho de lã de alpaca que ía para o lixo.

www.artedaterra.pt / mariacpcarvalho@gmail.com

João Francisco

Lançador de sementes que se transformam em grandes eventos. O João leva consigo a força de muita gente, e dá lanço à reinvenção do que o rodeia. Paciente no seu entusiasmo, é um olho e cérebro logístico da Acendalha, o seu principal codificador e descodificador tecnológico. Nasceu em Paradela e fazia regos no mato para andar de bicicleta com os amigos.

franciscocarvalho88@gmail.com

Mariya Nesvyetaylo 

Tradutora do imaginário, desenhadora do indesinhável, espanta o caos das manchas com carnalidades carnavalescas, e ri-se disso. Artista multidisciplinar, criadora de espectáculos e de oficinas, sobressalta-se com música e performance, e ensina os outros a saltarem sobre isso também. Está a aprender de forma diligente usar o Ilustrator e cada dia aprende mais.

Carolina Carvalho aka Garfo

Artista do Ba(i)rro e de outras matérias não tão palpáveis, observa o mundo e espanta-se com os seus detalhes. Nasceu em Paradela com talento para o negócio e é muito boa a lembrar-se de tudo o que é suposto fazer. Membra fundamental da logística associativa, sabe onde em que parte do monte está qualquer pessoa, mesmo sem rede no telemóvel. Lê 3 horas por dia.

www.artedaterra.pt / carolinagarfo@gmail.com

 

João Monteiro

Consegue fazer malabarismo com coisas muitíssimo pequenas. Fotógrafo e videógrafo, sabe pôr a luz a emanar de onde normalmente só existem sombras. Conimbriguense, chegou à uns bons anos a Paradela e lá tem desenvolvido projectos comunitários e artísticos, colaborando com a “Arte da Terra” e muitos outros artistas e instituições. Tem em sua posse 24 pilhas recarregáveis.

Mariana Ribeiro

Transformadora da matéria. Das moléculas vivas faz sabão, óleos e outros elixires revitalizantes. Atenta ao grupo, fá-lo seguir caminhos meticulosos e chega-se sempre à frente para resolver questões e por mãos à obra. Apaixonada pelas coisas vivas, conhece os cheiros pelo seu nome.

Henrique Apolinário

Artista transdisciplinar, entusiasta de muitas disciplinas mas sobretudo focado na música como meio performativo e criativo. Mediador de energias colectivas, educador e instigador da expresão artística, que acredita ser um meio poderosíssimo de transformação humana. Gosta de aprender a juntar pessoas pelos mais variados motivos, seja para cantar, dizer palavras, tocar, dançar, ou cultivar o jantar que todos podem comer entre um espectáculo e o outro. O Francisco cozinha.

António Marcelino 

Alquimista de ideias e matérias, tem um riso que transgride paredes e corações. Para além de reconhecer os elementos fulcrais de qualquer alimento, é investigador dos seus melhores métodos de confecção e destilação em fibra do corpo e da alma. É o principal filósofo e reflector psíquico do grupo.

Cecília De Fátima

Artista plástica, música, arqueóloga, antropóloga, fotojornalista, fotógrafa documental independente e contadora de histórias de formação académica e bailarina de tudo, ilusionista, palhaça, performer de improvisação, pirómana, stripper, mãe, estilista, organizadora, artista de bolas de sabão e vapor, percursionista de bombo português, titeriteira, grafitter e alquimista autodidacta. Rapa sempre o prato

Acendalha 
SOLAOSUPULOS Associação Cultural 

Fundada em Janeiro 2020

NIPC: 515797863

Rua Fundo da Rua, nº6

5470-362 Paradela / Montalegre

Corpos Sociais 2020-2022

Henrique Apolinário

Maria Carvalho

João Carvalho

Mariya Nesvyetaylo

Eduardo de Sousa

Mariana Ribeiro

António Marcelino

Carolina Carvalho

João Monteiro